Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GESTÃO HOTELEIRA

A Hotelaria na sua vertente técnica

A Hotelaria na sua vertente técnica

O que é a hotelaria holística?

 

Holistic.jpg

 

Já alguma vez ouviu falar de hotelaria holística? Este é um conceito inovador que está a crescer cada vez mais no nosso País. Para entender e explicar um pouco melhor esta nova oferta da hotelaria, estive à conversa com a Ana Cristina Beatriz, da ABC Sustainable Luxury Hospitality. 

 

 Perguntas sobre a hotelaria holística: 

1. O que é a hotelaria holística?

Sabemos que o caminho é “comunitário” e, como tal, todos são bem-vindos para que o resultado seja uma unidade hoteleira que permita a hóspedes e clientes, um despertar holístico, ou seja, que envolva o seu bem-estar físico, mental, emocional e espiritual. Por isso, de uma forma resumida, a hotelaria holística abrange uma visão maior sobre o todo. É por isso que as unidades hoteleiras que hoje a ABC Sustainable Luxury Hospitality ajuda a construir, são pensadas também para os vários facilitadores Portugueses e estrangeiros, que precisam muito de espaços como estes para os seus eventos (retiros, etc.). E o que nos motiva diariamente a ir mais além, é acreditarmos que o setor da hotelaria tem o propósito maior de ser catalisador de consciências e que Portugal tem esse desígnio.

 

2. Qual o propósito da ABC – Sustainable Luxury Hospitality?

Somos uma empresa de consultoria hoteleira portuguesa que guia, na criação de novos legados na terra, unidades hoteleiras onde a hospitalidade portuguesa impera. Unidades únicas, inovadoras e que respeitam o seu local e implantação. Onde todos, os que usufruem e/ou colaboram, contribuem para o posicionamento no segmento de “Wellness & Healing”, o novo luxo dos tempos de hoje.

 

A nossa equipa de talentos tem mais de 20 anos de experiência hoteleira e na área de descoberta e evolução pessoal: participação em retiros profundos e transformadores, meditação diária e outras práticas que são âncoras do nosso alinhamento e que permitem, assim, partilhas extraordinárias.

 

Acreditamos que a hotelaria é uma atividade de pessoas para pessoas e, por isso, a energia que queremos ver nos outros é a nossa alegria. 

 

3. E qual é a importância da sustentabilidade nos projectos da ABC – Sustainable Luxury Hospitality?

Acreditamos que a sustentabilidade é muito mais do que o óbvio. Para nós é (ação) “circular” que permite um ciclo de vida global, com impacto multidimensional no Todo, no Planeta Terra. Por isso, adotamos uma sustentabilidade consciente, que é, nada mais, nada menos, do que refletir no todo constantemente, verificar e testar o sentido de uso de vários “modus operandi”, serviços e outros procedimentos que impactam o equilíbrio do local, da região, do nosso País e, claro, do Planeta. A ética responsável de cada passo, fortalece a consciência de cada um de nós.

 

A unidade hoteleira em si é pensada de forma a que tudo seja usado e reutilizado de uma forma simples e eficiente. Simplificamos processos e agilizamos vivências únicas que são altamente rentáveis e impactantes no bem-estar de cada ser humano. E é este conceito de Wellness, esta visão maior, que faz parte de nós, enquanto marca e enquanto seres humanos.

 

4. É fácil alinhar toda a equipa envolvida num projecto de hotelaria deste tipo?

Acreditamos que para alcançar este objetivo, a formação e informação constantes a quem decide investir na criação de unidades com o nosso ADN é crucial. Por essa razão damos constantemente formação a todos os que participam nesta construção. Ou seja, “convidamos” – desde arquitectos, design de interiores, engenheiros, etc. – todos os que vão “chegando” ao projeto, a vivenciarem rituais únicos com a nossa assinatura, tais como:

  • Ritual Dormir Melhor;
  • Herbs&Tea Bar;
  • Wellness House ou Center e outros que criamos sempre com parcerias de empresas portuguesas, sempre que isso é possível, e com conceituadas parcerias internacionais com o mesmo ADN que o nosso, e que entram pela primeira vez na hotelaria Nacional.

 

Fonte: www.simplyflow.pt 

Autoria: Fátima Lopes

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D

Análise